Ideias que
conectam pessoas
O princípio 90/10: o que acontece no seu dia depende de você!

O princípio 90/10: o que acontece no seu dia depende de você!

Você já ouviu falar de Stephen Covey? Ele é um escritor estadunidense, autor do best-seller administrativo “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”. Covey instrui como ter eficácia plena na vida, com ênfase nos contextos empresarial e administrativo.

Mesmo com foco profissional, ele não deixa de abordar assuntos sobre família e maestria pessoal. prezando, em seus ensinamentos, pela integridade de nossas vidas e a autoliderança, que é o processo de liderar a si mesmo para alcançar metas pessoais.

Dentro de seu trabalho está o desenvolvimento do princípio 90/10, que traz uma premissa simples e honesta sobre os fatos que acontecem em nosso dia a dia e a forma como os conduzimos.

Mas, o que é o princípio 90/10 e como ele atua em nossa vida? Vamos explicar tudo para você!

Princípio 90/10

O 90/10 é bem simples: de 100% das coisas que acontecem em nosso dia, 10% não estão sob nosso controle. Já o que acontece nos outros 90% é de nossa responsabilidade, ou seja, nós é que provocamos.

A grande moral desse princípio é a de que somos os responsáveis por grande parte de tudo o que acontece em nossa vida. Culpar o trânsito lento, o guarda que repreendeu você, o cachorro que latiu a manhã toda e o cosmos que não colabora, definitivamente, não é a resposta.

Exemplo do processo por Covey

Covey usa um exemplo simples para demonstrar o princípio (imagine que seu dia começa no 0%): “você está tomando o café da manhã com sua família e sua filha deixa o café cair em sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.” Nesse exemplo, os 10% aconteceram na primeira parte do dia.

Agora, sua reação define como serão os outros 90% do seu dia: “… você se irrita. Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar… censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa… resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola”.

Os eventos seguem a partir daí: “você tem de levar sua filha pra escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado… 15 minutos de atraso e uma multa. Vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você.”

Toda ação tem uma sequência de reações: “… você percebe que esqueceu sua maleta. Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso para o dia acabar e, quando chega em casa, sua esposa e sua filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você.”

Esse exemplo traz claramente a lição: não foi culpa do café, da sua filha, tampouco da sua esposa ou do policial que não foi gente boa”. Não foi karma ou o universo.

A culpa foi única e, exclusivamente, sua. É claro que você não teve culpa por sua filha ter derrubado o café, mas a sua reação nos 5 minutos seguintes foi definitiva para o andamento do resto do dia.

Pense em como essa situação seria diferente: “O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar… você diz a ela, gentilmente: ‘Está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado’. Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus. Dá um sorriso e ela retribui, acenando com a mão.”

O início do dia foi exatamente o mesmo; os 5 minutos depois foram diferentes e ditaram o ritmo do dia todo. Esse é o princípio 90/10: se todos os 10% que acontecerem em partes do seu dia forem seguidos de 5 minutos de reações positivas e construtivas, os outros 90% serão proveitosos, apesar das possíveis adversidades dos 10%.

Estar atento ao seu próprio comportamento e pensar antes de reagir – “isso é realmente necessário” – mudam seu dia. Confira algumas dicas de como aplicar melhor o princípio 90/10 em sua vida.

Dê atenção ao seu emocional

A inteligência é a forma de se obter sucesso, tanto na carreira quanto na vida pessoal. No 90/10, quanto mais controle você tiver de suas ações e reações, mais os 90% de seu dia serão proveitosos.

Reprimir seus sentimentos não faz com que eles parem de existir. Essa prática apenas internaliza algo dentro de si e toda a pressão extravasa para algum lado: trabalho, amigos, família.

Veja alguns exemplos de como entender e controlar suas emoções:

  • Seja consciente de si mesmo: preste atenção nas coisas que o deixam irritado, que rompem seus limites, que deixam você feliz. Autoanalise-se como se você fosse outra pessoa e toda a vez que for ter alguma reação, pense antes se ela é necessária.
  • Coloque para fora tudo o que está sentindo não chorar quando quer, não dizer que não gostou de certa atitude a alguém, reprimir seus sentimentos por uma pessoa não são práticas saudáveis. Permita-se sentir!
  • Viva no presente: o que aconteceu não volta mais e não deve ser motivo de travamentos e empecilhos. Abra o jogo com você mesmo: esse é o início para curar feridas e deixá-las ir. Falar com outras pessoas será mais simples a partir daí.
  • Faça exercícios físicos e mentais: uma mente vazia ou focada somente em um ponto não é produtiva e atrofia. Leia sobre coisas fora do seu trabalho e zona de conforto, jogue jogos de estratégia. O exercício físico libera endorfina que combate o stress, além de despertar o corpo para as tarefas do dia a dia.

Flexibilidade e bom humor

Ser duro demais com os outros e com você mesmo é um dos hábitos dos quais deve se livrar. Essa exigência toda gera muita tensão e estresse, especialmente no trabalho e em casa.

  • Levante cedo: acordar cinco minutos antes de sair de casa é dor de cabeça na certa e um dia que começa mal tende a seguir mal: 90/10!
  • Leve as críticas de forma positiva: elas são dicas de como você pode melhorar em seu ambiente profissional e familiar.
  • Faça criticas construtivas: criticar por criticar não é proveitoso e pode virar um mau hábito.
  • Dê um tempo para pensar e planejar: tem muita coisa para fazer? Gastar um tempo fazendo uma lista com as prioridades e quanto tempo demandam faz toda a diferença no rendimento e na sequência do dia.
  • Ria das coisas e se divirta: foi levantar, caiu da cadeira de uma forma engraçada e não se machucou? Pode admitir: foi engraçado mesmo! Rir de si é uma forma de se conhecer melhor e isso reflete em outras áreas de sua vida depois.
  • A forma como levamos nossa rotina afeta diretamente nosso “piloto automático” e subconsciente. Conduzir as coisas de forma leve, positiva e altruísta garante até um sono melhor!

Livre-se do piloto automático

Entramos no piloto automático quando nossas reações saem sem nem nos darmos conta de que reagimos a algo. É como quando você fala alguma coisa que pensou e depois se questiona: “eu disse isso em voz alta?”.

Perceba situações como a seguinte: você está indo ao trabalho quando alguém esbarra em você na rua; sua reação no momento é exagerada.

Mais adiante, quando chega ao trabalho, o sentimento de arrependimento e vergonha predominam: “pensando bem, a pessoa mal encostou em mim”, “não sou de fazer esse tipo de coisa”, “não sei como reagi dessa forma”.

Se esse tipo de reação e pensamento acontecem com você, seja no trabalho, na faculdade, em casa ou na rua, então, você está no piloto automático. Desligue-o já!

Mais empatia

Coloque-se no lugar do outro: quando o atendente de telemarketing ligar ao meio-dia na sua casa e sua reação for a de esbravejar com ele, lembre: a pessoa está fazendo o trabalho dela, seguindo ordens. Que bem você fará ao mundo se for mal educado e hostil com ela?

Gritar não resolverá coisa alguma; apenas irá ofender quem está do outro lado da linha e, consequentemente, se estressar também.

Não responda ofensas com ofensas: você não sabe pelo que o outro passou e os motivos do stress aparente; responder com ofensas apenas será danoso a você e ao outro. Talvez, o que aquela pessoa precisava era apenas de uma palavra gentil para acalmar e colocar o dia no lugar.

Quem faz meu caminho?

O princípio do 90/10 é sobre o autoconhecimento e a autoliderança, entender como você funciona e reage em várias situações e poder controlar isso. A maestria pessoal pode não controlar coisas que não temos influência sobre, 10%, mas controla todo o pertinente a nós, 90%.

Ele ensina como cada ação é a rede de novas reações e como temos mais papel ativo nos contratempos do dia a dia do que realmente pensamos que temos. Nessa linha de pensamento, seríamos, nós, donos de nosso destino?

Gabriela Ribas

A estagiária.

1 Comentário

  1. Vinicius Queiroz
    26 de fevereiro de 2018 às 23:18 · Responder

    Topico extremamente interesante e informativo. Matéria muito bem escrita e elaborada. Parabéns ao site e a escritora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *