Ideias que
conectam pessoas
Improvisar (também) faz parte do planejamento do Marketing Digital

Improvisar (também) faz parte do planejamento do Marketing Digital

Uma boa estratégia de Marketing Digital baseia-se essencialmente em planejamento de ações em médio e longo prazo, que visam à maximização de resultados.

O planejamento permite prever situações e antecipar a solução de problemas, além de organizar as tarefas sem que haja “atropelo” em sua execução. No entanto, como não podemos (ainda) ver o futuro, a improvisação também deve ser considerada.

O improvisar faz parte da estratégia. Muitas vezes, ele traduz a capacidade de ação rápida de uma equipe e de como ela é capaz de encaixar uma demanda não prevista em seu cronograma, além de adequar seu planejamento à nova situação.

Em tempos de evolução tecnológica, em que as coisas mudam em questão de segundos, a capacidade de adaptação a mudanças bruscas deixou de ser um diferencial e passou a ser um pré-requisito.

Planejamento aberto

Quem já conhece um pouco de Marketing Digital, sabe que a análise de métricas e resultados deve ser realizada de maneira constante.

Diariamente e semanalmente, em especial, relatórios devem ser considerados porque, neste tempo, é possível “improvisar”, ou melhor, mudar o foco ou as ações em busca dos resultados planejados.

Por isso, um bom planejamento precisa ser “aberto”. Precisa ter “lacunas” para que essas situações inesperadas possam ser resolvidas sem comprometer o restante do andamento dos trabalhos.

Flexibilidade

Há casos em que somente desenvolver ações pontuais não será o suficiente. Será preciso mudar a trajetória, reanalisar o que foi executado e o que ainda está por vir para reestruturar toda a estratégia.

Essa flexibilidade de entender que pode ser preciso mudar “tudo” é essencial para o sucesso dos resultados. Porque, de nada adianta ter uma estratégia completa se ela não funciona.

É imperdoável que uma equipe especializada em Marketing Digital, por exemplo, insista em algo que não está dando certo. Compreender a necessidade de mudança, independente do estágio da jornada de compra, é investir na evolução do lead em direção à compra.

Como improvisar de acordo com o funil de vendas

Se você verificar um problema no primeiro estágio, na Atração, reveja a persona definida, os temas propostos, a linguagem do conteúdo produzido.

Mas, se a Conversão não é grande, é hora de repensar a eficiência da sua Landing Page, considerando todos os campos que a compõem e, ainda, avaliar uma possível reestruturação nos materiais ricos disponibilizados, além, é claro, da sua forma de disseminação.

O Relacionamento não pode ser “meia boca”. Newsletters e e-mails marketing devem ser examinados em dados como taxa de cliques, taxa de abertura para que se mantenha um padrão evolutivo de comportamento. Se você enviou 2 ou 3 e-mails marketing e suas taxas foram diminuindo, não pense duas vezes: reconsidere os fluxos de automação e de nutrição.

Mas, se o entrave estiver nas Vendas, é o momento de reunir a equipe de vendas, expor a situação, rever processos e adotar novas posturas.

Você já readequou sua estratégia? Precisou mudar o foco? Estabelecer novas ações? Conte pra gente nos comentários!

Michele Garbin

Redatora publicitária, mãe coruja e leitora assiduamente assídua. Graduada em Letras, Especialista em Metodologia no Ensino de Língua Portuguesa e Estrangeira e amante e aprendiz de publicitário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *