Ideias que
conectam pessoas
Sem emoção é (quase) impossível vender ou fechar negócios!

Sem emoção é (quase) impossível vender ou fechar negócios!

Provavelmente você já tenha visto, em 2015 ainda, o clipe da banda Marron 5, da música Sugar. Se ainda não assistiu, antes de continuar a leitura, sugiro que você dê o play!

É lindo, não é?! Particularmente, senti meus olhos marejados mais de uma vez ao assistir ao clipe. O storytelling criado através das cenas é muito marcante; é praticamente impossível não se emocionar.

Aliás, é pra falar exatamente disso, de emoção, que utilizei do clipe. Sim, somos movidos por emoções. Emoções positivas, negativas, de surpresa. São elas que nos impulsionam, muitas vezes, em busca de ações.

O mundo empresarial sempre foi reconhecido por sua frieza. Para fechar uma venda ou um grande negócio, era preciso que a pessoa mostrasse o máximo possível de formalidade para passar confiabilidade.

O jogo mudou (ainda bem). A proximidade, a empatia, o surpreender, a gentileza tomaram conta das transações e mostraram que, apesar de ser um negócio, acima disso, há pessoas envolvidas. Pessoas que têm medos, objetivos, expectativas. Gente como a gente.

O papel da empatia nos negócios

Colocar-se no lugar do outro é uma qualidade que anda em falta. Entender como ele se sente, o que está passando, quais são seus desafios e objetivos é uma leitura de contexto que pode facilitar (ou complicar e muito) o sucesso de uma venda.

Prospectar é muito mais do que uma função: consiste na arte de entender as necessidades do futuro cliente para, então, ofertar uma solução pela qual ele pagaria para ter seus problemas resolvidos. E, para chegar a essa conclusão, a empatia é fundamental.

Criar emoção para gerar necessidade

Construir uma necessidade para o cliente, em tempos em que tudo é acessível, é um grande desafio. Nesses casos, a emoção funciona como aquele ingrediente secreto em receitas deliciosas. Você pode causar um impacto psicológico – seja pela emoção da lembrança ou pela expectativa – para levá-lo a tomar a iniciativa, por exemplo, de fechar a parceria de negócios.

Assim, criar uma história, resgatar lembranças através de gatilhos mentais e gerar emoção é um processo que nunca falha e que sempre deve ser inserido quando o assunto for vendas. O foco deve sair do seu produto para mostrar os reais benefícios e vantagens, além da resolução de problemas, que o seu cliente terá ao contratar seu serviço ou adquirir seu produto.

Suas vendas caíram consideravelmente e você não sabe o que fazer? Confira nosso post “Sazonalidade de vendas: o que fazer quando as vendas da minha empresa caem?

Michele Garbin

Redatora publicitária, mãe coruja e leitora assiduamente assídua. Graduada em Letras, Especialista em Metodologia no Ensino de Língua Portuguesa e Estrangeira e amante e aprendiz de publicitário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *