Ideias que
conectam pessoas
Como saber a hora de demitir um cliente

Como saber a hora de demitir um cliente

Há clientes e clientes. Essa é uma afirmação que se aplica a quase todo ramo de negócio. Existem clientes que nos permitem crescer junto com eles, superando dificuldades e outros que sugam nossas energias e dificultam a parceria.

É por isso que avaliar constantemente a cartela de clientes é uma tarefa que não deve ser deixada para depois. Ela pode colocar em jogo a sustentabilidade do negócio.

Focar em lucro e vendas a qualquer custo não é saudável para uma empresa. Há clientes que, apesar dos valores que trazem, nem sempre contribuem para o crescimento da sua empresa. Eles sugam sua equipe e isso não faz bem ao dia a dia da sua empresa.

Mas, em tempos de crise econômica, como devo proceder?

Não é fácil dispensar um cliente em momentos como o que estamos vivendo. Mas, é preciso encarar a situação por outro lado. Finalizar uma parceria que não está rendendo bons frutos pode ser a porta de entrada para novas prospecções que poderão trazer mais resultados.

A palavra da vez, quando o assunto é crise, é inovação. Criar possibilidade e ver oportunidades onde ninguém mais vê só é possível quando a empresa sai da zona de conforto e se permite dizer não a algumas situações para dizer sim a outras.

Tente mais uma vez!

Antes de sair dispensando os clientes por aí, é válido repensar a parceria. Propor adequações, fazer testes para rever a forma de trabalho. Afinal, se o cliente escolheu você, ele teve bons motivos.

Esgote as possibilidades de readequação dos serviços. Reúna sua equipe e junte o maior número de ações possíveis que podem ser propostas a fim de mudar os rumos da parceria.

Caso realmente não haja outra solução e as iniciativas propostas não deem resultados, aí, sim, é hora de encerrar um ciclo para começar outro.

Não há saída. Como devo “fazer a demissão”?

Nada melhor do que uma conversa franca e transparente. Explique que sua empresa está passando por readequações internas e que o atendimento a esse cliente, especificamente, não vai ao encontro dos objetivos.

Deixe claro que você se sente lisonjeado por ter atendido o cliente em determinado período e, se possível, indique outras empresas que possam tomar conta das demandas desse cliente.

A saúde da sua empresa também depende dos clientes (e não estamos falando somente da parte financeira). Comprometa-se com uma análise constante e você verá que novas oportunidades de crescimento (e lucro) surgirão!

Michele Garbin

Redatora publicitária, mãe coruja e leitora assiduamente assídua. Graduada em Letras, Especialista em Metodologia no Ensino de Língua Portuguesa e Estrangeira e amante e aprendiz de publicitário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *